Mozart, Dvorak, Mendelssohn no concerto matinal

A coluna que sustenta a habilidade de um músico, que vive da música, é o estudar diariamente e se preparar para enfrentar obras de elevado valor artístico, com informações que deve ser seguida à risca para uma excelente interpretação e expressão.

No conjunto de instrumento, a coluna, por mais que se tenham ótimos executores, precisa encontrar-se sempre em ensaios, para concluir e sintonizar a sua escuta aos de outros e, assim, criar uma atmosfera sonora única que identifique o grupo.

Nisso a Camerata Jundiaí vem crescendo, com ampliação do repertório que demanda uma série de ações e de espaço propício, para não haver interferência com ruídos. Ainda não há esse espaço totalmente preparado, mas aproveitamos toda semana um local privilegiado para executar obras como do último concerto de 26 de junho de 2011.

Divertimento de Mozart, Serenade de Dvorak e Octeto de Mendelssohn foram obras escritas no período de adolescência dos compositores que já se consagravam pelos seus vários trabalhos tocados pelas orquestras do período.

Atualmente o músico concorre com a música mecânica e outros multimeios, no entanto, não fica esmorecido, pois o som do seu instrumento é único e pode, sensivelmente, alcançar as vibrações que mudam a emoção e o sentimento das pessoas, para um estado de magia sublime e de encanto ao ser humano.

Obrigado pela sua presença em nossos concertos e convidamos outros músicos de nossa região a se juntarem a orquestra, para que em breve possamos ser a referência para muitos alunos e estudantes de música e alegrar mais e mais nossa gente.

Estamos te aguardando.

1 Comentário "Mozart, Dvorak, Mendelssohn no concerto matinal"

  • Mailson Godoy diz:
Faça um comentário