Novos tempos e novos rumos.

Em dezembro de 2012, a Camerata Jundiaí participou de um integração onde dimensionou a visão do grande trabalho que pode ser realizado em conjunto.

Na cidade de Louveira,SP, com o Auto de Natal, NATALE ALUMIADO, teve uma participação compondo um elenco de 400 pessoas, sendo a Orquestra Mista composta por 80 músicos, formados pelas: Banda Marcial de Louveira, Corporação Musical Progresso Louveirense e Orquestra de Cordas Camerata Jundiaí e corais convidados.

Uma orquestra que foi mensageira de um integração entre profissionais e amantes das artes e que, mesmo com tempo de chuva, soube cumprir o seu papel de confiança no fazer cultural.

Agora estamos numa expectativa da política local, para que se abram as portas de um diálogo afinado, para uma cultura efervescente em Jundiaí e, já mostrou trabalho com os 150 grupos de apresentações diversas, durantes a Festa da Uva no Parque Comendador Antonio Carbonari, neste 2013.

Um local apropriado para retomar os ensaios e fazer o grupo tornar estável é a meta para breve. Mecanismos de apoio também continuará sendo um caminho a percorrer.

Espero um segundo semestre promissor, com muitas novidades!

Auto de Natal - Natale Alumiado 2012 - Louveira/SP

Postado em Arte by Gesse Araujo. Sem Comentários

Concerto – A Música, Nossa Arte.

Em 2011, a Camerata Jundiaí teve grande resultado com o crescimento profissional de seus integrantes.

Músicos que iniciaram conosco, na prática de nosso repertório, estão integrando orquestras e grupos de câmara em outras cidades, pois ainda não temos recurso financeiro e espaço  próprio para segurar toda essa musicalidade local.

 No entanto, a nossa formação mostra que em 4 anos de atividades e, com o repertório estudado, já é fato o crescimento destes, como descrito no plano inicial do nosso projeto e que dá legitimidade ao grupo e instrumentistas de nossa cidade e adjacências.

Muitos não querem participar por falta de visão de carreira ou por motivos que os levam a esperar a “casa ficar arrumada”. Certamente concorrerá a uma vaga no futuro tendo a primazia de participação aqueles que sempre lutaram para conquistar e formar a orquestra ainda em ascensão.

Com esta garra somam-se mais de 20 concertos realizados desde 2007 e, no dia 20 de novembro de 2011, às 19 horas, na Sala Glória Rocha, teremos mais um concerto. Um mês dedicado a música e aos músicos: CONCERTO – A MÚSICA, NOSSA ARTE.

Repertório tradicional que ainda expressa em nossa mente o quanto a música é capaz de envolver as pessoas e torná-las mais fortalecidas para um mundo melhor e mais humano.

A Camerata Jundiaí aguarda sua presença para ouvir a musicalidade que está dentro de cada um, expressa pelos que se dedicam horas e dias, para traduzir esta emoção.

Até lá.

Postado em Arte by Gesse Araujo. 3 Comentários

Mozart, Dvorak, Mendelssohn no concerto matinal

A coluna que sustenta a habilidade de um músico, que vive da música, é o estudar diariamente e se preparar para enfrentar obras de elevado valor artístico, com informações que deve ser seguida à risca para uma excelente interpretação e expressão.

No conjunto de instrumento, a coluna, por mais que se tenham ótimos executores, precisa encontrar-se sempre em ensaios, para concluir e sintonizar a sua escuta aos de outros e, assim, criar uma atmosfera sonora única que identifique o grupo.

Nisso a Camerata Jundiaí vem crescendo, com ampliação do repertório que demanda uma série de ações e de espaço propício, para não haver interferência com ruídos. Ainda não há esse espaço totalmente preparado, mas aproveitamos toda semana um local privilegiado para executar obras como do último concerto de 26 de junho de 2011.

Divertimento de Mozart, Serenade de Dvorak e Octeto de Mendelssohn foram obras escritas no período de adolescência dos compositores que já se consagravam pelos seus vários trabalhos tocados pelas orquestras do período.

Atualmente o músico concorre com a música mecânica e outros multimeios, no entanto, não fica esmorecido, pois o som do seu instrumento é único e pode, sensivelmente, alcançar as vibrações que mudam a emoção e o sentimento das pessoas, para um estado de magia sublime e de encanto ao ser humano.

Obrigado pela sua presença em nossos concertos e convidamos outros músicos de nossa região a se juntarem a orquestra, para que em breve possamos ser a referência para muitos alunos e estudantes de música e alegrar mais e mais nossa gente.

Estamos te aguardando.

Postado em Arte by Gesse Araujo. 1 Comentário

A vida musical da cidade com sua arte.

A Camerata Jundiaí é a base iniciada como orquestra de cordas, atualmente com 12 músicos e depende da possibilidade de participação e disponibilidade dos colegas músicos que não estão tocando em outras orquestras no dia do concerto, as quais são vinculados.

O repertório será de músicas eruditas para instrumentos de cordas, do período clássico e romântico, obras de Mozart, Dvorak e Mendelssohn. Com nível técnico mais exigente dedicamos o tempo e espaço dos ensaios somente para o repertório a ser executado.

Desde a primeira formação em 2007 a preocupação é em ampliar a exigência técnica do repertório, para que haja interação dos professores experientes com estudantes de nível avançado que começam abrindo espaço para crescimento do profissional que é um dos objetivos do ICAJUN.

Nossos integrantes têm aulas com professores de orquestra e concertistas como Cecília Guida, Enio Anunes, Alejandro de Léon, Bob, Miranda, entre outros.

É a primeira vez que vamos realizar um Concerto Matinal, num período de inverno. A expectativa é que o público prestigie os projetos da cidade feitos por pessoas da cidade e que acrescenta oportunidade e realização cultural participativa.

Certamente, irão observar que a cada concerto realizado, a Camerata Jundiaí vem num crescente de repertório e execução, com o diferencial da sonoridade e habilidade instrumental com músicos de nossa cidade e região que também formam a base da Orquestra Filarmônica de Jundiaí, já inaugurada no ano passado.

Gostaria que outros músicos da cidade e região se interessassem em participar da sua Orquestra. Mesmo que não tenha uma exímia habilidade, com conhecimentos e estudos diários até a 5ª posição, poderá iniciar sua experiência musical conosco e chegar a uma orquestra profissional com experiência e repertório de qualidade.

Tem-se professores de instrumentos de cordas, violino, viola de arco, violoncelo e contrabaixo em várias Escolas de Música em Jundiaí e região, porém não há oportunidade de prática de grupo ou mesmo uma orquestra para complementação curricular.

Queremos com mais este trabalho abrir espaço para geração de renda e capacitação profissional elevando o valor e a arte de nossos artistas, para que se tornem excelentes instrumentistas.

Postado em Arte by Gesse Araujo. Sem Comentários

Radioestesia Orquestral

Radiestesia ou radioestesia é um meio de captação a sensibilidade e radiações que os defensores atribuem qualidades positivas e negativas, usadas pela pseudociência ou ligações paranormais.

Por que me refiro a esta terminologia?

A simples razão de aculturação pelo investimento de produção artística e evento com investimento dispendioso em 24 horas disponibilizadas no ano.

A orquestra tem o poder de mexer com a emoção e a razão no mesmo instante. Porém o Estado investe plenamente na sensibilidade do corpo através dos ritmos ultra “pops”, como meio de dominação a inteligência de pessoas.

Enquanto escrevo ouço LISZT – Concerto para Piano nº 1 em Mi bemol e fico pensando quantos concertistas em nossas cidades tocam o compositor ou estudam em escolas de formação séria para deixar um legado? Quase nenhuma.Senão todas.

Formar uma orquestra está quase impossível, assim como manter uma empresa no país, tributação por todos os meios; para se ter o profissional, divulgação dos eventos, taxas para solicitação de local público, espaço na mídia, espaços para desenvolvimento de projeto negado, embora ociosos, e mais uma infinidade de outros aspectos.

Estamos desde 2007 trabalhando com um grupo de fato legítimo da nossa região Jundiaí, para encontrar meios de não desprezar os que se esforçam para estudar música e ter oportunidade de um espaço sério para elevar a sua formação.

Se não dermos a possibilidade de capacitação e geração de renda para nossos profissionais não teremos qualidades positivas da radioestesia a nosso favor e passaremos mais alguns anos patinando no companheirismo do Estado.

Estado que não é nosso eterno companheiro, mas usa o que dispomos todos os anos, o sagrado imposto que para nós é uma Sangria.

Viva a verdadeira radiestesia que desperta a sensibilidade do fazer e praticar a orquestra e seus sons.

Postado em Arte by Gesse Araujo. 1 Comentário

Orquestra Sinfônica Municipal de Jundiaí.

Como músico investidor na formação e produção artística e cultural em Jundiaí e região tenho sido perguntado sobre a formação, o projeto, a lei ou decreto que institui a Orquestra Municipal de Jundiaí.

Digo que, infelizmente não sei. Mesmo sendo integrante da Comissão de Música do Conselho Municipal de Cultura de Jundiaí, desconheço completamente sobre as questões, por ignorarem os conselheiros e integrantes das comissões.

Há um nível de responsabilidade política quando se atrela demasiadamente as atividades das artes a política, como um simples plano de governo. É fácil perceber que não é plano de um governo, mas das gerações de artistas que pediam desde a década de 1990 ou, talvez, até anteriores ao meu tempo.

Um dos nossos mais atuantes vereadores, Erazê Martinho, em 1991 e 1993 teve seu projeto de Formação da Orquestra Municipal, totalmente vetado na Câmara Municipal quando nos governo do prefeitos Walmor Barbosa Martins (1989-1993) e André Benassi (1993-1996) e, como presidente da Câmara Municipal,  Ariovaldo Alves (1991-1992) e Jorge Nassif Haddad (1993-1994).

Qual será a lógica de toda essa situação?

Quero dizer somente uma preocupação! - Que não aconteça o descaminho das atividades coesas, não dando a devida liberdade de ação a Maestrina Claudia Feres que assumirá a função de regente e diretora artística, interferindo na essência profissional, como sabemos do histórico e que acontece em outros locais.

Pelo que vemos, aparecerá uma “monte de donos” da Orquestra que não tem a mínima percepção em diferenciar o atendimento ao pedido dos artistas locais, para dizer que é um plano de governo a criação e fundação da OMJ.

Enquanto isso, a Orquestra Filamônica de Jundiaí e Camerata Jundiaí continua, com muito esforço, o projeto de desenvolvimento e ampliação dos fazeres culturais desde 2007, sendo reduzido ainda mais o tempo para uso da sala emprestada para ensaio.

Questão de ordens, excelência!!!

Certamente, o mundo não será somente nosso, mas somos parte da história dos artistas que contribuem com o acesso a cultura musical local, mesmo sendo considerado inapto o Projeto de apoio a Camerata Jundiaí em 2008 que teve como parecer:  “que a verba destinada a esse tipo de projeto, era para vinda da ULM (atual EMESP)” e  que nunca aconteceu.

Fica meu registro de qualidade de vida e responsabilidade sócio-cultural-educativa e desejo sucesso a todos que integrarem a OMJ na temporada de 2011.  JLv

Postado em Arte by Gesse Araujo. 2 Comentários

Foi lindo!

Apresentação final de 2010
Foi ótimo ver eo grupo crescer em cena. Três peças de ótima qualidade com alto grau de complexidade. Uma delas surpresa, pois nem estava no programa. Uma bela execução de Mozart à disposição da platéia.
A Camerata Jundiaí, o grupo de cordas da Filarmônica de Jundiaí, que há algum tempo não tinha uma apresentação só deles, marcou uma presença digna de uma despedida de um ano cheio de grandes e agradáveis sucessos.

Postado em Arte Sem categoria by admin. 2 Comentários

No concerto com Mozart

Postado em Arte by Gesse Araujo. Sem Comentários

Programa Jovens Instrumentistas 2010 – Jundiaí.

Tive nesta sexta, dia 5 de novembro, um momento importante, para estar presente na apresentação de piano, flauta, violão, viola caipira, tuba, eufônio, trompete e trompa, com os 15 integrantes que participaram com peças solo,  instrumental e de concerto.

O XXVI  Programa Jovens instrumentista de Jundiaí, já revelou muitos músicos que são importantes no mundo da música, mas como sempre, hoje se esqueceram das raízes que o tornaram árvores vistosas, devido a intenso trabalho fora da cidade.

Que estes nossos alunos tenham acesso ao melhor dos seus estudos. Que  a cada ano haja interesse de professores e escolas mostrarem o que há de melhor dentro das quatro paredes de seus estabelecimentos ou ensinos particulares, e, assim, ajudar os alunos na interação com outros, criando uma competição saudável para o estimulo dos estudos.

Infelizmente, por medo, alguns professores escondem seus alunos para não perdê-los para os que se destacam no processo, no entanto, particularmente, ajudarei a muitos a saírem do anonimato quando tivermos nosso Programa Jovem Concertista Revelação que terá oportunidade de preparar um concerto para tocar com a Orquestra  Camerata Jundiaí.

Os nossos futuros músicos serão brilhantes se continuarem dedicando um tempo precioso de suas vidas para o conhecimento da cultura e das artes, através da música.

Postado em Arte by Gesse Araujo. Sem Comentários

Filarmônica de Itu há 10 anos.

Neste domingo, 31 às 19h, após a eleição para presidente fui conhecer o trabalho da ASSATEMEC em Itu,  no concerto da Orquestra Filarmônica Jovem e Solistas.

Sob regência de Akira Miyashiro e os solistas Adriano Bueno -trompa e Humberto Ramos Teixeira – Vibrafone que tiveram importante participação.

Celebrar a juventude, com 38 jovens músicos que se esforça para a música erudita ser uma premissa,  foi o comentário de D. Miriam, a presidente e diretora da Instituição. Apontou a seriedade e estruturação das atividades realizadas com a orquestra e escola de música.

Minha surpresa foi chegar ao Teatro Maestro Eleazar de Carvalho, (grande homenagem),  aconchegante para 250 pessoas, muito bem estruturado para o aluno se sentir na realidade do fazer musical com crescimento, sabendo que o palco deve ter a força que traz a pláteia ao convívio.

Mas, a surpresa maior, é que o Teatro foi construído com a força e planejamento da Instituição frente a colaboradores, empresas, incentivadores e, certamente, dos grandes compromissados com a elevação da Cultura de Música Erudita que vai na contramão das “coisas” que se ouve por aí, segundo, D. Miriam.

Parabéns pelo concerto e, certamente, a Filarmônica de Jundiaí irá fazer parcerias com a Filarmônica de Itu, pois, com gente forte e audaciosa é que se soma o fazer e a produção musical.

Postado em Arte by Gesse Araujo. 1 Comentário